Mês: novembro 2014

O nono mundo está chegando

Saudações leitores.

O cenário rpgístico nacional tem mudado muito ultimamente, tanto com os títulos produzidos nacionalmente, quanto pelos títulos que tem ganhado tradução. O problema é que nem sempre temos orçamento para arcar com todas as compras no momento em que elas se apresentam.

A infante, porém extremamente competente, Editora New Order, responsável pela tradução do Yggdrasill, comentado várias vezes aqui em nossas páginas (confira os artigos), iniciou mais um financiamento coletivo, desta vez da fantástica obra do aclamado designer de jogos Monte Cook, o Numenéra, que também já foi falado aqui no blog (confiram aqui).

O projeto encontra-se em financiamento coletivo pelo Catarse e tem como meta alcançar o valor de R$ 40.000,00 para ser financiado, tendo, no momento em que este post foi escrito, alcançado mais de 50% do valor. Abaixo, o vídeo do financiamento coletivo.

http://www.catarse.me/pt/projects/7840/video_embed

Além dos artigos que publicamos aqui no Ordo Veritatis, os amigos do Mundo Tentacular dissecaram em vários artigos (confira o link aqui) que tirará todas as dúvidas que vocês possam ter sobre o cenário, o que, com certeza, vai ajudá-lo a decidir-se por apoiar o projeto.

Gostou da proposta do sistema e do seu sistema de regras? Já apoiou o projeto? Pretende apoiá-lo?

D&D 5E

Saudações leitores.

Tão logo foi liberada a pré-venda da nova edição do Dungeons & Dragons, o Players Handbook tornou-se o mais vendido da Amazon e os sites começaram a pipocar artigos sobre a nova edição.

Archlich

Os dois anos de playtest orientaram muito bem a equipe de desenvolvimento, que entregaram ao público um material, não somente com uma grande qualidade gráfica, como também com um sistema de regras que tem imensa chance de tornar-se, dentro do segmento, o sistema para a todos dominar – em um bom sentido, é claro.

Muitos jogadores veteranos voltaram às mesas e parecem ter aprovado a nova edição, que trouxe modificações significativas em relação à quarta edição, aproximando-se contudo das edições mais antigas, com as quais o sistema possui grande compatibilidade.

heroes

O jogo ficou muito mais dinâmico e fluido, mas ainda não se iguala a um Dungeon World, que diga-se de passagem, chega a ser insano.

Um ponto positivo, quando comparando-o a quarta edição, é que a simplicidade do sistema permite que as fichas sejam feitas rapidamente e com auxílio apenas de lápis e papel, algo que a quarta edição tornou impraticável com a exacerbada seleção de poderes e descritores, para o qual o D&D Insider tornou-se praticamente obrigatório.

O novo D&D é, de certa forma, uma volta ao passado – ao melhor do passado – embora tenha sofrido um completo remodelamento e após testar vários outros sistemas, alguns retroclones de D&D inclusive, é hora de verificar se o novo D&D consegue simular bem algumas ambientações mais dark, como o Lamentations of the Flame Princess, por exemplo, que lembra muito Ravenloft.

ravenloft1

Para quem adquiriu o Player’s Handbook, o que estão achando do livro e do sistema? E para quem não comprou ainda, já participaram de alguma mesa do sistema? O que acharam?

Retorno às atividades

Saudações.

No último dia 13 de novembro comemorei seis anos de início das atividades dos vários blogs que culminaram no Ordo Veritatis e que ficou mais conhecido com a ForjaRPG, numa parceria fantástica entre eu e o Pedro Gonçalves.

Party

Eu tentei resgatar a Forja, reacender suas brasas, mas a força da inércia é muito forte. Utilizando o último suspiro, consegui levantar a poeira e modificar algumas coisas (sempre com a ajuda do Pedro Gonçalves) e transformar a Forja na Ordem da Verdade, mas isso, por um tempo foi tudo e as obrigações do dia a dia falaram mais alto, me impossibilitando mais uma vez de retomar as atividades como blogueiro.

Até 2013 o blog focou, quase exclusivamente no D&D 4ª Edição, principalmente com um grande volume de traduções de artigos voltados para o sistema.

Alguns eventos me fizeram afastar-me do hobbie, deixar de escrever e por fim, o D&D 4E perdeu o brilho com a chegada do D&D Next e com seus dois anos de playtests que culminou com seu lançamento em agosto/2014, o que trouxe um novo brilho e perspectivas para o RPG aqui no Brasil.

Por algum período tentei enveredar por sistemas indie, com propostas diferentes do clássico proposto pelo D&D. Foram vários testes, principalmente usando o hangout, mas no fim, em minhas mesas, os jogadores sempre preferiam o velho e já conhecido modelo da Caverna do Dragão e invariavelmente sempre voltamos a ele.

Uma quantidade absurda de sistemas de regras foram desenvolvidas, cenários espetaculares criados, o mercado brasileiro cresceu e ganhou publicações de peso e com qualidade muitas vezes superior a materiais produzidos pelos gringos.

Em seis anos o mercado brasileiro cresceu e amadureceu. As discussões evoluíram. Muitos blogs morreram, tantos outros nasceram e poucos sobreviveram para contar uma história gloriosa.

O mundo está mudando. Nós estamos mudando com o mundo e ele precisa de muitos aventureiros que se disponham arriscar-se para trazer esperança aos milhares de mundos imaginários, que frequentamos cada vez que jogamos RPG.

Obrigado a todos que tem acompanhado a jornada épica deste, que é apenas mais um blog de RPG.